Google
Uma Baita Jogada: É permitido proibir

quarta-feira, 14 de maio de 2008

É permitido proibir

Pensava que a mentalidade retrógrada pertencia apenas a alguns Dirigentes. Pensava que somente Dirigentes poderiam tomar certas decisões no Clube. A partir de agora, não penso mais. Ou pensarei muitas vezes antes de, realmente, pensar em algo.

O tema já foi comentado aqui algumas vezes; portanto, não precisarei me estender muito. O terceiro uniforme. De fato, é um tema polêmico. Mas, a palavra final quanto a algo sempre deveria vir da Alta Administração.

Na verdade, queria falar sobre o sucesso cada vez maior da venda das camisetas roxas do Corinthians. Segundo informações do Clube, desde que foi lançada, foram comercializadas mais de 200 mil peças. Além disso, em Ribeirão Preto, onde o Timão esteve ontem, o ônibus roxo virou atração na cidade. Muitos torcedores tiraram fotos junto ao veículo.

Na contramão do sucesso, o Corinthians só utilizou o roxo uma única vez. Em uma vitória contra o Fortaleza, há quase 40 dias.

Segundo o Vice-Presidente de Marketing do Corinthians, Luiz Paulo Rosemberg, o uniforme não foi mais aproveitado, pois "Estávamos apenas cultivando a escassez, o que causa a vontade. A roxa é emocional e vai seguir fazendo sucesso". Se fosse apenas isso, seria excelente. Mas há outra explicação; talvez mais contundente. A Gaviões da Fiel, Torcida Organizada do Clube e uma das maiores do Brasil, não permite que o Corinthians entre em campo de roxo nos jogos decisivos. Rosemberg afirma: "Tem realmente um pedaço da Gaviões que não gosta. A gente respeita, mas muitos corintianos aprovaram, a venda está bonita e vamos utilizá-la."

Pelo visto, o Clube virou refém da Torcida. Contrariá-la não seria o mais indicado. Poderia haver reações, como novas pichações nos muros do Parque São Jorge. Contudo, poderia (se é que não houve) haver um debate entre as partes.

A volta do Corinthians Roxo deverá ocorrer contra o ABC, em Natal, no dia 24 de maio, em jogo válido pela Série B do Campeonato Brasileiro.


Foto: AE

5 comentários:

Daniel Leite disse...

É bastante complexo analisar alguns posicionamentos de torcida. Mas o fato é que, como disse, o clube não pode ser refém de seu próprio público. E também há outra interpretação: o que seria um "jogo decisivo"? Na Série B, todos serão enquanto o time não confirmar o acesso à elite. Na Copa do Brasil, nem se fala. Creio que veremos o roxo em Novembro, na partida seguinte a uma eventual confirmação do título ou da subida corintiana. Haja paciência para o tal "cultivo da escassez". E escasso já está o dinheiro do torcedor que comprou um uniforme que o time não usa.

Até mais!

Carlão Azul disse...

Uma verdadeira bobagem não aprovarem o Roxo.

Que importa a cor, o que importa é o sentimento, se os torcedores estão gostando, pronto....

Bota a roxa pra fora (ops), a camisa roxa pra fora do guarda-roupa.

hehehhe

Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Notícias , fatos e fotos do Cruzeiro
Leia sobre o Rankink VIP do Fut. Brasileiro
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Diego Louzada disse...

Se meu time jogasse de roxo eu não gostaria e creio que as torcidas organizadas do Vasco também não. Motivo de chacota.
Sucesso de venda entre as mulheres pode ser, mas eu não usaria essa camisa. Agora é fato que um time não pode ser refém de uma organizada.

Leandrus disse...

Complicada a questão da relação da torcida com o time. Mas eu já disse isso aqui e concordo com o Diego: não simpatizo muito com essa camisa roxa do Corinthians, e nem gosto muito do 3º uniforme, principalmente quando mudam para algo extravagante...

Ateh!

Vinicius Grissi disse...

Não vejo com tanta preocupação assim. De fato, parte da Gaviões não gosta da camisa, mas o Corinthians vai continuar a usá-la. Porém, acho que nos jogos decisivos, é importante o time usar a camisa tradicional. Questão de imagem mesmo...

Isto em nada atrapalha as vendas, como provam os números.